Ir para o menu| Ir para Conteúdo| Acessibilidade Alternar Contraste | Maior Constraste| Menor Contraste

Instituto Mineiro de Agropecuária - IMA

Orientações de colheita, acondicionamento e transporte de amostra para Raiva

PDFImprimirE-mail

Para garantir que a amostra será analisada corretamente, esteja atento às seguintes dicas:
 

Animal: Não sacrifique-o. Aguarde o desenvolvimento dos sintomas e a morte natural.

Coleta: A amostra deve preferencialmente conter fragmentos do corno de Amon (hipocampo), cerebelo, córtex e medula. Não enviar a cabeça. 

Acondicionamento: A amostra deve ser acondicionada em frasco de vidro com tampa de rosca, sendo mantida sob refrigeração. Não a envie em saco plástico. Para o encaminhamento, utilize caixa isotérmica em perfeitas condições contendo gelo reciclável. Não remeta outro material dentro da mesma caixa isotérmica, pois não será processado.

Remessa: Envie o mais rápido possível. Não remeta o material às sextas-feiras, nem em véspera de feriado. O material deve vir acompanhado do "Formulário único de Requisição de Exames para Síndrome Neurológica" com todos os campos preenchidos. Despache com frete pago até o laboratório.

É importante lembrar que todos esses cuidados são necessários para que a saúde de pessoas que direta ou indiretamente entram em contato com o material suspeito não seja colocada em risco.

  fragmento-cerebelo.jpg

 fragmento-hipocampo.jpg

    talamo-medula.jpg