Ir para o menu| Ir para Conteúdo| Acessibilidade Alternar Contraste | Maior Constraste| Menor Contraste

Instituto Mineiro de Agropecuária - IMA

Sigatoka Negra/ Moko

PDFImprimirE-mail


As principais medidas sanitárias adotadas pelo IMA para evitar a entrada e ou a disseminação da Sigatoka Negra e do Moko são: 

- fiscalização do transporte de plantas e partes de plantas de bananeira, em que técnicos do IMA examinam a carga e os documentos sanitários exigidos,

- inspeção de propriedades rurais cumprindo os procedimentos exigidos pelo Ministério da Agricultura para o Sistema de Mitigação de Risco e de manutenção da condição de área livre de Sigatoka Negra,

- definição das condições de acondicionamento e embalagem dos produtos que serão transportados.


Sigatoka Negra

É uma praga das folhas ou da parte aérea da bananeira causada por um fungo. Nas plantas infectadas surgem pequenas descolorações (semelhantes a linhas marrons) que em estágio mais avançado adquirem a coloração marrom-escuro (próxima à negra) que necrosam toda a folha resultando em sua morte. Na ausência das folhas os frutos não crescem, ficam pequenos, desuniformes e com maturação precoce.

A praga é influenciada por fatores ambientais como vento, umidade e principalmente a chuva. As condições favoráveis são temperatura maior que 21ºC, umidade alta e período chuvoso prolongado. Pode causar prejuízos de até 100% e depois de sua invasão gera  aumento nos custos de produção, pois é preciso rigoroso controle químico.


Moko

O Moko da Bananeira ou Murcha Bacteriana é causada por uma bactéria. É uma das pragas mais importantes da cultura da bananeira, pois pode causar perdas de até 100% da produção, pois os frutos afetados tornam-se impróprios para o consumo. É de fácil disseminação e de difícil controle.

Nas plantas jovens é marcada pela má formação foliar, necrose e murcha da folha, acompanhada de amarelecimento das folhas inferiores. Nas plantas adultas acontece a murcha das folhas mais jovens avançando para as mais velhas. Nos frutos ocorre amarelecimento prematuro e posterior escurecimento da polpa e podridão.

A praga é facilmente disseminada, de difícil controle e acarreta elevadas perdas na produção.